Posts Tagged ‘ Lesão ’

Lesões em Corredores

Vamos abrir um espaço para discutir sobre as lesões na corrida? Iniciou-se no site FisiOT um espaço para o compartilhamento de artigos científicos experiências práticas. Confiram, compartilhem e interajam.

Artigos sobre corrida no site FisiOT

Anúncios

Aula de Eletroterapia no Esporte Grupo Joelho Campinas

Dr. Thiago Fukuda – Aula de Eletroterapia no Esporte Grupo Joelho Campinas

Continue lendo

Lesão do Canto Póstero-lateral

posterolat-corner02_thumb[7]
O estudo do joelho em fisioterapia é, por muitas vezes, simplificado e fica restrito em doenças degenerativas, lesões nos ligamentos cruzados e colaterais, instabilidades ligamentares em geral e lesões musculares locais. A complexidade desta articulação necessita de um estudo aprofundado para um tratamento adequado.

A lesão do canto póstero-lateral (CPL) é um acometimento incomum e geralmente é resultado de lesões esportivas, acidentes automobilísticos entre outros traumas diretos na articulação. Há uma estimativa de que a grande maioria das lesões sejam de origem esportiva e que ela isolada, é muito rara compreendendo apenas 1,6% do total de lesões no joelho. O acometimento de outros ligamentos e estruturas em conjunto é mais comum devido, também, ao mecanismo de trauma que compreende uma força na região anterior e lateral, o que gera um estresse em varo juntamente com uma rotação externa e hiperextensão.
As possíveis lesões de tecidos moles dependem do grau de acometimento. São três camadas nessa região, onde a primeira corresponde à fascia lateral, trato iliotibial, tendão do bíceps femoral e abaixo deste o nervo fibular. A segunda camada compreende o retináculo patelar e o ligamento patelo-femoral. A terceira e mais profunda é constituída pela cápsula articular, ligamento colateral lateral, ligamento poplíteo-fibular, tendão do músculo poplíteo e ligamento arqueado. A classificação usada é a de Fanelli que é dividida em 3 tipos:
Tipo A: Lesão do ligamento poplíteofibular e do tendão do músculo poplíteo o que gera uma rotação externa excessiva.
TipoB: Lesões do tipo A mais a do ligamento colateral lateral que gera a rotação externa excessiva juntamente com uma abertura em varo de 5 a 10mm a 30graus de flexão.
TipoC: Há a associação de avulsão capular lateral e rompimento de ligamento cruzado.
A reconstrução do CPL deve ser realizada de forma prioritária, antes mesmo da reconstrução dos cruzados, mas abordagens mais recentes de reconstrução conjunta apresentam melhores resultados.
LARSEN
Reabilitação
A reabilitação pós-operatória é chave para o sucesso e o protocolo vai variar de acordo com as estruturas lesadas e a qualidade dos tecidos. O tratamento começa sem descarga de peso e com tala imobilizando o membro afetado em extensão 0. O tratamento segue as mesmas linhas do tratamento de reconstrução do cruzado posterior, sempre respeitando as individualidades de cada lesão.
Esse texto é uma síntese de artigos científicos e dos sites abaixo.